domingo, setembro 27, 2020
No menu items!
Início Empreendedorismo Empresário do ramo artístico é um grande descobridor de talentos do Estado

Empresário do ramo artístico é um grande descobridor de talentos do Estado

  1. Conte um pouco da sua história. Trajetória pessoal e profissional.

Primeiramente eu gostaria de agradecer ao site “Em Mato Grosso”. Agradecer ao meu amigo e parceiro, Alcemir e toda a equipe pelo carinho. E, por essa oportunidade para que eu pudesse falar um pouco do meu trabalho, da minha história de vida… e parabenizar por esse site que veio para ajudar a todos nós que precisamos ser vistos em nossos trabalhos e segmentos. Dizer que vocês contem sempre comigo!

Eu nasci em Corumbá, sou corumbaense. Eu venho de uma família de sete irmãos e perdi minha mãe com seis meses de vida. Vim pra Cuiabá, Mato Grosso aos sete anos de idade, para tentar a vida aqui. Meu irmão mais velho me trouxe para cá. A gente tem um passado de lutas, superações e batalhas assim como muitas pessoas têm, e eu sou uma dessas pessoas. Então eu tive muitos altos e baixos, muitas dificuldades na minha vida.

No meu lado profissional, eu fui picolézeiro, engraxate, feirante… dos 13 anos de idade, até os 19, fui feirante. Inclusive o meu apelido, “Magal”, foi adquirido na feira, aos 13 anos de idade, e hoje esse é o nome da minha empresa, no qual sou conhecido, Magal Produções, empresário artístico em Mato Grosso. Mas meu nome mesmo é Revanildo Divino Souza Silva, nome que até eu estranho, porque dificilmente alguém me chama pelo nome de batismo.

Fico muito feliz por poder falar isso para muitas pessoas que acompanham o site, para que possam ter essa oportunidade de saber um pouco da história de vida da gente e poder se espelhar, com objetivo de crescer mais sempre com pensamentos positivos.

Eu comecei na área da música, no ano de 1999 para 2000, onde iniciei no rodeio e fui produtor e empresário de um locutor de rodeio chamado, Júnior Cuiabano, lancei ele como locutor de rodeio em Mato Grosso e fiquei dois anos nesta área de rodeio. Depois fui empresário de uma banda de forró chamada Trânsito Livre. Fui o primeiro empresário da formação, da dupla João Carreiro e Capataz.

Também fui produtor por cinco anos, da dupla Alecir e Alessandro. Hoje eles residem em Goiânia, mas moraram em Cuiabá por 10 anos. Com o tempo fui deixando de ser empresário, no sentido de cuidar só de um artista. Então lancei o desafio de lançar a minha empresa. Hoje eu faço um trabalho de divulgações artísticas, vendas de shows, palestras de motivações e direções em todos os segmentos, produção e organização de eventos. Já são seis anos de empresa e eu tenho uma gratidão muito grande por vários parceiros, principalmente os meios de comunicação, que sempre me ajudam e os contratantes de shows, essas são as pessoas responsáveis pelo meu sucesso.

A gente tem várias histórias… quando eu pensei e projetei montar minha empresa em 2009, não tirei ela do papel porque em 2010 descobri um câncer no intestino. Passei por um ano e nove meses lutando contra a doença e somente depois que consegui colocar em prática, a Magal Divulgações Artisticas. Lutei e sofri muito, fui desenganado por quatro médicos que falavam que eu não iria sobreviver e nem vencer o câncer. Mas com a benção de Deus e a oração de muitos amigos, familiares e parceiros eu consegui vencer o câncer, tirei meu projeto da gaveta e hoje sou conhecido a nível nacional com o meu trabalho. Então agradeço muito a todos que sempre acreditam em mim. 

Nunca tive medo de obstáculos e desafios, sempre enfrentei. Hoje tenho 52 anos de idade de muita luta, batalha, superação e aprendizados todos os dias. Essa trajetória de vida, nos ajuda muito a crescer, eu espelho em mim mesmo e em pessoas sempre a minha volta, buscando fortalecimento do lado da humildade e sempre dando espaço para quem precisa e buscando espaço também. 

Eu fui menino de rua, fui mendigo, já morei na rua e comi lixo. Eu venho de uma família de sete irmãos e eu sou o caçula. Eu tenho um irmão que se suicidou, com desgosto de viver devido a tanto sofrimento. Tenho irmão que foi morto, mataram ele com tiros, tiraram a vida dele. Então a gente tem uma história muito triste, mas de alegria ao mesmo tempo. 

Quando eu fui feirante, eu estava perdido procurando um emprego, entrei na feira comendo lixo e pedi emprego para um senhor, em troca de um prato de comida. Ele me deu o emprego, um prato de comida. Então falei que queria continuar a trabalhar e ele me adotou, deu emprego e uma moradia, se tornou meu pai adotivo por seis anos. Nisso já faziam cinco anos praticamente, que eu não via meu pai verdadeiro. 

Ao morar com esse senhor e a família dele, me levou para conhecer um sítio que ele tinha, em Mimoso, um distrito de Cuiabá. Chegando no sítio, quem era o caseiro dele?! Era o meu pai, ele adotou o meu pai até mesmo antes de me adotar, sem saber que era meu pai. Passei por muita coisa… já fui humilhado, chamado de preto, de negro, cuspiram na minha cara, mas eu nunca desisti dos meus sonhos, de alcançar os meus objetivos.

  1. O Estado tem muitos talentos?

O Estado de Mato Grosso tem muitos artistas. Existem falhas desses talentos não aparecerem. As falhas estão muitas vezes nos próprios artistas que não sabem buscar seu espaço, objetivos e uma direção. Também tem os que tiveram oportunidades e não souberam aproveitar. 

Mato Grosso tem muito talento, não só na área da música, mas como na cultura, na arte, na dança, poetas e escritores. É só ver o nosso lambadão e rasqueado, já foi divulgado fora do nosso estado. Não é só questão de apoio, é que sempre houve pessoas por trás que só vive de momento. Ganha dinheiro e não leva a diante. Outros artistas que não tem interesse em dar continuidade nesses projetos.

  1. Os artistas de Mato Grosso têm recebido apoio do Governo e instituições artísticas?

O nosso Estado não deixa a desejar em comparação a outros estados, no sentido de talento. O que falta é essa visão por parte de muitos artistas, empresários, da classe política que não dão apoio.

Com todo respeito, a própria secretaria de cultura, que não valoriza também 100%, não valoriza na verdade a nossa cultura do estado. Hoje você vê vários artistas que dão iniciativa no próprio crescimento na área da arte, independente do segmento e não tem apoio por parte da prefeitura, governo e secretaria de cultura. 

Já para esses artistas conseguirem, tem que batalhar muito para eles saberem, onde está esse direito deles e leis que amparem eles. Então eu entendo, que Mato Grosso não tem dado apoio a área artística em todos os segmentos. 

  1. Em quais pontos o Estado evoluiu nas artes e o que precisa ser melhorado?

Acho que para o nosso estado melhorar nisso, precisa que uma secretaria de cultura, tenha realmente a visão de cuidar da cultura do seu município. Mas para isso, é preciso do poio de um secretário estadual, para apoiar os secretários municipais e cada cidade irá conseguir apoiar os talentos. Hoje vemos que se existe uma exposição municipal e o artista local não tem espaço, porque a própria secretaria de cultura não dá essa oportunidade. Então quando houver um projeto por parte do estado, dando esse respaldo para cada município, aí muita coisa irá melhorar na arte em todos os segmentos dentro do estado de Mato Grosso.

Temos muito talento dentro do estado. Atualmente eu faço um trabalho dentro de 126 municípios do estado, em cada cidade dessas que eu viajo, existem de três a seis talentos de vários segmentos: poetas, escritores, músicos, cantores, no artesanato… mas infelizmente as secretarias de cultura de cada município não tem um apoio pra que eles possam apoiar essas artes. 

Deveria existir uma verba destinada a esse segmento, dentro da secretaria de cultura, mas não tem! É por isso, que o nosso estado muitas vezes fica pecando e não tem como alavancar outros artistas dentro do nosso estado. 

  1. Qual o seu SONHO GRANDE para o estado de Mato Grosso na sua área de atuação?

Eu sempre tive um sonho, antes de entrar na área da música, sempre sonhei em me estabilizar bem na área profissional e financeira, e tenho esse sonho até hoje de montar uma fundação, a “Fundação Magal Produções”, e nela ajudar pessoas não só na área da música, mas em todos os segmentos. Poder criar áreas profissionais em todos os sentidos, como marceneiro, carpinteiro, artistas como músicos e cantores, dando aulas de voz, violão e outros instrumentos musicais. 

Deus ainda vai me ajudar para que eu coloque esse sonho em prática. Tirar as pessoas de ruas, menores que não tem espaço para trabalhar e preparar eles para o mercado de trabalho. Tenho esse sonho, Deus vai me ajudar e vou colocar em prática esse sonho!

Para finalizar quero novamente agradecer toda a equipe, em dar oportunidade para pessoas como eu. Graças a Deus sou conhecido no estado e a nível nacional, mas ainda tem muitas pessoas que não tem conhecimento da minha história de vida e vão passar a saber através deste site. Contem sempre comigo!

Veja também:

Irmãs indígenas mostram talento e perseverança para a música, mesmo diante das dificuldades

Quadro “Talentos de MT” busca valorizar e dar visibilidade aos talentos do nosso Estado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Notícias Populares

Live Solidária com Maria Izabel

Maria Izabel começou sua carreira no interior de Mato Grosso, na cidade de Sorriso, onde nasceu. Desde criança, a paixão pela música...

Empresário do ramo artístico é um grande descobridor de talentos do Estado

Conte um pouco da sua história. Trajetória pessoal e profissional. Primeiramente eu gostaria de agradecer ao site “Em...

Gabi Supermercado realiza Projeto Ilustrador do Futuro

Por iniciativa do Gabi Supermercado está em andamento o Projeto Ilustrador do Futuro.Através desta iniciativa a empresa convida todos os alunos de...

Potencialidades de Sinop, do Estado e a construção da Ferrogrão são destaques no EL País

O jornal El Pais, um dos mais conceituados da América Latina, publicou neste domingo, a reportagem ‘o sonho do trem da floresta...